segunda-feira, 7 de março de 2011

Análise Jogos: Fallout New Vegas (2010)


...

...

...

...VOLTEI!

...

...

Tá, sei que vocês não acreditarão mais nisso mesmo...

Então... não voltei, tanto faz.

Não há uma razão específica por ter demorado 4 meses para ter voltado. De certo que eu me viciei no Fallout por pelo menos um mês, mas nos outros eu quase não toquei no xbox.

E eu comprei meu Nintendo DS! Esperem ver reviews de jogos dele por aqui... ou não. A depender se eu vou continuar postando com certa frequência. Se eu fizer a pergunta em um auditório com todos os leitores do blog como espectadores e pedir pra responder se a platéia acredita se eu devo postar, ouviria um sonoro "NÃÃÃÃÃOOOOOOOOO!".

É, eu mereço isso mesmo.

Mas bem, feliz natal e ano novo atrasado pra todos vocês (além de feliz carnaval, mesmo este não tendo terminado)! Por falar nisso, no exato momento em que os relógios marcavam 00:00 do dia 01/01/11 (o que eu gostei de chamar como o "início do segundo ano binário", qualquer um que entenda de info vai entender a "piada"), eu decidi que o primeiro ano impar da década seria marcado por diversas mudanças.

Entre elas estava perder peso, continuar minha faculdade, fazer uma auto-escola e postar com mais frequencia no blog.

...é, comecei muito mal nas opções 1 e 4, mas tudo bem... apenas um sexto do ano se passou. Tenho um certo tempo pra me redimir.

Mas quanto as outras opções, comecei bem. Esses quatro meses foram bastante corridos por sinal, vejam só:

-Comprei Fallout 3 Collector's Edition (\o/)
-Comprei Pokemon HeartGold para o Nintendo DS (\o/²)
-Meu emprego acabou (...)
-Realmente voltei a estudar.
-Terminei as aulas teóricas da auto-escola no início do mês passado.
-Dei maior prioridade a uma busca por companhia (alguém ai se dispõe ao cargo? Tem que ser OBRIGATORIAMENTE do sexo feminino e de preferência loira, nem muito alta, nem muito baixa, que goste das mesmas coisas que eu, tenha uma boa conversa e goste de videogames para... para... as horas de descanso! Exigente? Imagina).
-Virei profissional de boliche! Mas não achem que eu faço muita coisa não, minha média de pontos é de infimos 139 e fiquei em 37º de 45 participantes em um campeonato aqui na Bahia. A razão de ser "profissional" é porque jogo agora oficialmente pela FBBol (Federação Baiana de Boliche).
-Praticamente não fico mais em casa. Ando mais com os amigos do que fico sozinho e isso gerou reclamações do velho que exatamente há um ano atrás falava que "eu deveria sair mais".

Só segui sua dica, paizão!

E posso utilizar esse último como uma boa desculpa pela falta de posts... humm...

Anyway, todos sabem que adoro encher linguiça (lá ele), então não dá para enrolar vocês por muito tempo. Comecemos?

Comecemos!

New Vegas... tempo atual: maior parte de nuvens vermelhas.

Uma coisinha: para entender perfeitamente este review, seria uma boa você ler sobre o que eu escrevi de Fallout 3. Não estão necessariamente interligados, mas há alguns termos que você conhecerá apenas lendo tal review (ou melhor ainda: jogando), então... é isso. Está avisado.

Qualquer um que saiba ler e tenha acompanhado os últimos posts do blog, sabe que eu estava louco por esse jogo. A maior das razões é justamente por ter "Fallout" no nome.

Qualquer jogo que tenha "Fallout" no nome começa bem. É quase como preferir uma mochila de camelô do Bahia no lugar de uma oficial da Nike, mesmo que elas custem o mesmo preço e obviamente a tal mochila do Bahia seja de qualidade bastante inferior. A única razão de você insanamente estar na dúvida entre tal divergência é apenas pela mochila, que provavelmente vai se arrebentar em alguns dias, ter o escudo do majestoso Esporte Clube Bahia.

E BORA BAEEAAA! Vencemos por 2x0 o último BaVi! BAAAAÊÊÊÊAAAAAAAAAAAAAAAA!! BAAAAÊÊÊÊÊAAAAAAAAAAAAAAAAA!!

!

...

Caham! Mas esse não é o único motivo. Nos previews do jogo era perceptível que eles resolveram investir em alguns pontos que o Fallout 3 tinha de chato, outros que eram simples demais e outros que eram apelões demais.

Não lembra de nenhum que era apelão demais? Pois bem, com a expansão Broken Steel, você chegava até o level 30 e se não me engano tinha um perk ou algo assim que fazia você ganhar quase 10 pontos extras pra distribuir a cada level. Isso significava que se sua inteligência era 10 e com esse perk, você ganhava o direito de distribuir em media 25 pontos por level.

E acredite: 25 pontos pra distribuir é COISA PRA CARALHO! No level 30 você tinha um ser que beirava a perfeição em quase todos os aspectos. Eu poderia ter facilmente um cara manipulador, negociador, que sabe manejar armas brancas, tem grande força nas mãos, habilidade com armas pequenas, grandes e gigantes, que saca pacas de medicina, romper fechaduras e hackear computadores. Pois é. Tudo ao mesmo tempo.

Entende agora a apelação? De boa que era divertido, mas o jogo ficava extremamente fácil, até minhas irmãs de 3 anos de idade conseguiriam zerar o jogo com essas condições.

E não estou exagerando, não mesmo.

Espaço reservado para comentários como "Eu quelu!" e "Eu plecisu!".

Entre os que eram chatos demais, destaco um bem visível para todos que jogaram o 3: as side quests são boring.

Eu não sei quanto a vocês, mas a única razão de engolir 90% das missões secundárias era o fato de que eu amava tanto o jogo que eu não conseguia parar de jogar. Sério. Todas elas, simples ou complexas, pequenas ou grandes, não tinham nem um quarto da "magnificância", da personalidade, da "divertuosidade"... enfim, da fodasticidade das main quests.

Não há uma explicação concreta para o fato de eu e muitos acharem elas chatas, elas apenas eram. Você encarava a missão como "Putz, preciso fazer essa porcaria logo".

O New Vegas teve uma grande melhora nas side quests, mas acabou prejudicando a main quest. Falo com mais detalhes em algumas (muitas) linhas abaixo.

Indo pro ponto de simplicidade, muitas pessoas irão retrucar: "Ué, você não disse no review do 3 que um dos seus pontos mais fortes eram a sua complexidade e diversidade? Agora me vem com essa conversa fiada que era simples? Quem você acha que está enganan..."

DEIXA EU EXPLICAR, PORRA!

...obrigado. Sim, eu continuo com o mesmo papo de que Fallout 3 é um jogo putamente complexo e diversificado. Ainda continua sendo um dos jogos com grande destaque nesses pontos, mas eu cito logo uma coisa em que o antecessor do New Vegas era simples: para quê servia a Carisma?

Rá!

Double Rá!

Nem me venha que isso aumentava o Barter e outras 2 características, porque se fosse por isso eu simplesmente colocava a Carisma no 1 para ter 4 pontos extras para distribuir em outras mais importantes como Força e Inteligência e investiria separadamente no Barter e nas outras 2 que cresciam com o Carisma e que não me recordo no momento.

E era exatamente isso que eu fazia.

Quanto vale o símbolo atômico?

Basicamente imagine que você tinha uma cara carrancuda em que fala com o lado da boca e que qualquer pessoa com o mínimo de bom senso nem chegaria perto de você, com o medo de que até mesmo se te elogiasse faria ela ser partida em dois pedaços iguais.

Só que não era isso que acontecia. Todas falavam com você como se não se importassem com o seu rosto inexpressivo, mesmo que apresentasse aquela eterna poker face.

Vejam que lindo, Fallout 3 ensina até mesmo a respeitar as diferenças, mas que jogo educativo.

Nos Fallouts antigos a Carisma era fundamental. O fato de você não ser carismático influenciava diretamente nas conversas e até em como as pessoas te recebiam. E como ficou esse fator no New Vegas?

É... meh.

Houve uma certa melhora, mas a carisma é utilizada na maioria das vezes para tentar convencer suas pessoas com sua cara de pidão.

Eu sei que os textos que aparecem são diferentes de alguém que peça as coisas, mas não há nada que me convença que você não faça uma "Pidão face".

Convenhamos que é melhor uma "Pidão face" do que uma poker face, então é fato que o New Vegas deu uma melhorada nesse ponto.

Mas essas são apenas umas poucas características de que o Fallout New Vegas apresenta. Vamos começar esse review de verdade...

...o que foi? Eu falei que seria enorme, não falei?

Enredo

"Make love not war"
É, hippies, vocês foram ignorados...


Vejam que bonitinho, agora separado com uma palavra em letra maior e em negrito.

New Vegas se passa em 2281, exatamente 4 anos após o Fallout 3, mas tal enredo não tem absolutamente nenhuma conexão com o seu antecessor. Até porque se tivesse, seria chamado de Fallout 4.

Ou chamariam de Fallout 4 com a única intenção de aumentar as vendas, mesmo que a história esteja tão relacionada quanto uma banana está para a coca-cola. Algumas empresas adoram fazer isso e o exemplo está na nossa cara... ou você acha que o Fallout 3 tem alguma conexão com o 2 e o 1?

Te peguei, Bethesda!

...ou Obsidian. Bethesda só participou na produção no Fallout 3.

Mas ela que publicou o jogo!

Te peguei, Bethesda!²

Neve! Agora temos neve! Estou alegre!
Não acham que eu ia perceber o Super Mutante abobad... ah, fuck!


Mas enfim... 2281 também é 204 anos após a Grande Guerra. Aquela, lembra? Que durou 2 horas apenas e ferrou a vida de todo ser vivo que habita esse maldito planeta? Então...

Ou de certos lugares apenas... não dá pra saber o tamanho da extensão da merda feita há dois séculos atrás, até porque isso pouco é falado no jogo.

O local do jogo é no deserto de Mojave (para você que não sabe onde fica, ele atravessa os estados de Nevada, Arizona e Califórnia se não me engano), agora chamado de Mojave Wasteland (sim, bastante criativo. Capital Wasteland, Mojave Wasteland...), você controla um ser conhecido apenas como "The Courier" (traduzindo em miúdos, seria algo como "o mensageiro" ou "o entregador") e você está com um pacotinho que contém algo chamado Platinum Chip (não querem que eu traduza, né?). No meio do caminho você é abordado por um ser chamado Benny (estes parenteses estão aqui apenas para que o parágrafo fique bonitinho), líder de um dos cassinos de New Vegas...

...sim! Cassinos! Falo mais sobre esse fabuloso tipo de entretenimento abaixo.

O tal Benny simplesmente rouba seu pacote, faz uma cova para você e atira na sua cabeça.

Benny is on a Killing Spree!

...

...

...!

ATIRA NA MINHA CABEÇA? PERAE, COMASSIM?? EU MORRI? MAS O JOGO NEM COMEÇOU!!

Mas eis que um robô chamado Victor viu toda a cena e te leva para um doutor em Goodsprings, cidade que deve estar há mais ou menos uns 2 dias de viagem andando.

É bom deixar claro que você tomou um tiro na cabeça de queima-roupa. Nem mesmo Amy Winehouse em overdose erraria tal tiro, as chances de você sobreviver nessa situação chega ao absurdo de serem negativas.

Não importando o quão absurda e ilógica tal situação pareça, o doutor te dá uma semente dos deuses ao você chegar em Goodsprings e você não só acorda como também passa a andar normalmente, como se tudo que sofresse fosse alguma simples porrada na cabeça.

Po, eu entenderia se fosse algum tiro no peito ou algo assim, mas foi na cabeça!

Na cabeça!

NA PORRA DA CABEÇA!

A BALA ENTROU NO CÉREBRO, MEU!

Eu sei que se o Courier não sobrevivesse, não teríamos jogo, mas por que o tiro tem que ser NA PORRA DA CABEÇA?

Só eu vi dois caras com gorros fazendo "High five!"?

Mas... tá. Você tem um pedaço de metal alojado no cérebro, não se importa com isso, corre saltitante no desértico fim de mundo de Mojave e passa a perguntar a qualquer tipo de ser que pareça saber falar como encontrar Benny, buscando por vingança e, claro, tentando recuperar aquele pacotinho roubado.

Se eu sobrevivesse a um tiro desse, provavelmente eu tentaria emagrecer e atualizaria com frequência o blog.

...além de buscar minha vingança, claro. Não esqueci disso.

E... fim da história.

...

Entenderam agora porque a "magnificância" (gostei dessa palavra) do New Vegas não se compara ao do 3 e muito menos ao do 1 e 2?

O problema não é a história em si, e sim a forma como ela é contada. No Fallout 2 por exemplo, tudo não se passava de uma mágoa guardada por gerações em que sua missão era se vingar de tudo aquilo (e pegar o G.E.C.K.), porém envolvia o inicio da Enclave e na volta a sua vila (após ter cumprido seu objetivo) você descobria que todos foram capturados pela organização governamental.

Sim, eu soltei spoilers. Já era pra você ter jogado os Fallouts antigos há muito tempo, ora bolas, não reclame.

Vejam que a complexidade é maior e é aí que mora o problema. Felizmente, New Vegas se redime ao decorrer do jogo e acabamos quase que ignorando a simplicidade da Main quest. Falarei com mais detalhes mais a frente.

Puf... puf... corra... mais... devagar... porra...

E Fallout 2 tem a intro mais tocante (lá ele) de todos os tempos. Se não viu:



Estou chorando novamente.

Não colocarei qualquer tipo de enfase na frase acima pois ficaria extremamente homossexual de minha parte.

Por sinal é bom deixar claro que a empresa responsável pela produção do New Vegas, a Obsidian Entertainment, conta com muitos membros que estiveram na produção dos Fallouts 1 e 2, então como eles conseguiram fazer um Fallout com história inferior ao 3 que foi produzido totalmente pela Bethesda e que já tinha um enredo inferior aos seus antecessores?

É uma das grandes dúvidas da humanidade, como a "de onde viemos?" ou "para onde vamos?".

Partes técnicas

"Agora, alunos, falaremos das partes técnicas!"
"zzz..."


Chato, eu sei, mas necessário. Vamos para as partes técnicas.

Gráficos

Visão panorâmica de Mojave Wasteland.

Bem triste de dizer isso, mas os gráficos são praticamente iguais ao 3. Isso significa que você verá o mesmo tipo de cenário desolador, o mesmo estilo de textura para inimigos (e muitas vezes até os MESMOS inimigos), a mesma cara de bunda dos personagens...

Achar os gráficos bonitos não me priva de achar que todos tem cara de bunda.

Basicamente não há nenhuma mudança significativa gráfica e isso não é bom. Os gráficos de Fallout 3 eram muito bons, mas quando você lança a mesma coisa 2 anos depois, a tendência é uma queda grande não só na nota como na boa impressão dos players. Lembram que comentei isso no review de Blood?

E nem me venham com a piadinha de que o review foi escrito há muito tempo. Ainda é o segundo da lista, hunf.

Sei que vocês queriam lançar logo outro Fallout, que pra fazer tudo aquilo que o 3 trouxe não foi nada fácil, mas isso não dá o direito de vocês repetirem a MESMA COISA 2 anos depois!

Menos 20 pontos para a Sonserina!

...

A Grifinória já perdeu pontos, deixa ela quieta.

Sua cara feia não me assus... porra, Veronica! Sobreviva algum momento!

Vamos falar de uma sub categoria: bugs gráficos.

Após o lançamento de Elder Scrolls IV, a Bethesda provou uma coisa: é especialista em bugs.

Nem pensem em fazer essa cara de raiva porque vocês sabem que é verdade.

Infelizmente o problema disso tudo é que a Obsidian não só resolveu pegar carona nessa viagem em estradas brasileiras (cheia de buracos) como também não só seguiu o feito em Fallout 3 e como aumentou em New Vegas. Aliás, no New Vegas a quantidade de problemas foi a la número de exibições de Lagoa Azul na sessão da tarde.

Sim, supera a quantidade de "enfins" que uso normalmente nos reviews.

Você, como um bom leitor, já deve ter lido sobre o novo Fallout e sabe de uma das coisas que reclamaram foi o excesso de bugs, seja eles gráficos ou de outras categorias, não é?

...não, não me importa se você não leu... BEM, vamos supor que você fez isso. Com esse ato, você pôde (sei que não tem mais chapeuzinho, mas a nova lei ortográfica só começa em 2012, então eu posso, rá!) comprovar que eles tocam, retocam e chacoalham sem dó nem piedade o fato de New Vegas trazer diversos bugs, não é?

Pois bem, tenho que concordar com eles.

Tal-game-que-já-pronunciei-o-nome-muitas-vezes-nesse-texto-por-isso-tentarei-não-repetir-tal-nome-novamente realmente apresenta tais problemas e o pior: eles são bem mais expressivos que no 3. Enquanto contávamos no máximo com bugs engraçados como músculo fora de corpos, zumbis epilepticos (mortos que ficam se batendo no chão), show de mágica de certos personagens (sumirem e não aparecerem mais) e poucos eram significativos a ponto de atrapalhar sua missão (ao menos graficamente falando), no jogo-citado-nesse-review o problema é definitivamente grande. Grande mesmo.

Não sei se você já jogou Re-Volt, mas ele apresenta um probleminha "básico" em algumas pistas: chão invisível. Como se ao atravessar tal chão, você caísse rumo ao nada.

Ou ao inferno, o que era mais provável.

Tem espaço pra "buggers"?

Pois bem, esse é um dos bugs apresentados no New Vegas (porra!) e ele não só acontece, como com certa frequência.

Há também outro pequeno probleminha que pouco atrapalha na jogatina em si, mas é bem perceptível: a arma ficar em lugares diversos.

Você está simplesmente andando, feliz, saltitante, assobiando uma música dos Beatles e morrendo de medo que apareça um Deathclaw pronto pra te mutilar com meio golpe quando de repente (já disse que adoro esse "de repente"?) do nada a sua arma vai pro topo da tela.

Aí passa a ficar no canto direito da tela.

Depois fica de cabeça pra baixo.

Óbvio que você solta um "Whathafuck?" e tenta entender que tipo de malabarismo russo comunista seu personagem está tentando fazer, quando se toca que tudo aquilo não passa de mais um bug.

Certo, fiz isso nos dois últimos reviews e não queria repetir, mas o PORRA da vez vai para: Obsidian!

PORRA, OBSIDIAN!

PORRA!

Fiquem felizes pessoal da Bethesda, dessa vez vocês escaparam.

Calma que ainda tem mais, só não são gráficos. Here we go!

Diversão

Caravan serve para arrancar caps de conhecidos sem precisar roubá-los, só que o feitiço pode virar contra o feiticeiro...

Em jogos bem diversificados eu costumo me divertir bastante aproveitando tal diversidade. Como isso ficou então no New Vegas?

CONTINUA PUTAMENTE DIVERTUOSO!

Continua coisa de outro mundo (um mundo pós-apocalíptico. Sacaram? Sacaram?) explodir coisas e pessoas, caminhar eternamente apenas para passar tempo, usar rifles estupidamente grandes e com calibres imensos pra ver quanto as pessoas voam após tomar um tiro bem na testa, destruir vilas inteiras, usar seu speech para enganar pessoas, usar o V.A.T.S. apenas para ver as formas diversas e estilosas de matar inimigos (ou até amigos, quando você cansa de tudo) e outras coisas que provavelmente não devem ser feitas no jogo.

Tá, você pode matar a tudo e a todos, mas esse não é o propósito original.

Algumas missões também são divertidas e estão mais variadas que no 3. Não é apenas mais "vá a certo ponto, mate tudo e todos, pegue o item, devolva pra mim que lhe pagarei em muitas tampinhas". Comentei isso no início do texto e sim, as side quests estão bem mais divertidas do que antes e você terá maior prazer de realizá-las. Ter prazer de jogar é basicamente tudo que define o ponto diversão.

Blowing up heads is AWESOME!

E sobre os cassinos, lembram que eu comentei que falaria deles? Pois bem, não esqueci, don't worry.

Se no 3 era bem fácil de conquistar tampinhas extras, no New Vegas isto está mais fácil ainda. Não precisa ser muito inteligente pra sacar que New Vegas é o novo nome da antiga Las Vegas.

...não venha me dizer que você não sacou isso que faço questão de te estrangular.

E como bom conhecedor de geografia básica que você deve ser, deve saber que Las Vegas é a cidadezinha dos cassinos, não é? Pois bem, temos isso deixado de forma beeeeeeeem clara no joguito.

Há uma coisa que provavelmente você não deve ter entendido, como: "perae, se as bombas atomicas destruiram tudo, como Las Vegas ainda existe? Isso não faz sentido algum. Nem venha me dizer que reconstruiram porque nada foi devidamente reconstruído no mundo de Fallout". Pois é, elementar meu caro Watson. Por isso a explicação que New Vegas dá é simplesmente: Las Vegas não foi atingido pelas bombas, pois estava afastado de onde todas as outras da região explodiram.

Sei que é dificil de engolir, mas há uma razão para isso e o próprio jogo deixa claro, mas isso são SPOILERS! Gosta de SPOILERS? Ah, bom.

Parando de resenhar, FNV tem diversos cassinos e você pode ganhar muuuuuuuuuuuuuuuuita grana em cada um deles. Os jogos disponíveis são roulette (a velha roleta), jackpot e blackjack (21) e como todo cassino, a chance de você ganhar é infinitamente menor do que a de perder. Felizmente (ou não) se você tiver um bom nível de luck, as chances de ganhar serão maiores e o mesmo aplica para o inverso.

Nesse exato momento você deve estar expressando uma cara medonha e dando uma gargalhada malígna quando lembra da velha manha de "save/load" para que ganhe eternamente, não é? Bem, tenho uma má e uma boa noticia.

Blackjack. Nunca entendi porque a mesa tem uma possibilidade bem maior de fazer 21 do que a gente...

A boa é que essa manha realmente funciona.

A má é que quando você tenta dar load no meio de um cassino, o proprio jogo ativa um "anti-cheating mode" que só permite que você jogue nos games do cassino após 1 minuto da sua última jogada.

Lembram que eu disse que "paciência é uma virtude"? Sigam isso ao pé da letra ou desistam de ganhar tampinhas extras. Fica a sua escolha.

Há uma outra "semi-má" notícia que é o fato que você pode ser banido dos cassinos se ganhar demais, ou você acha que vai causar extremo prejuízo e sair como se nada tivesse acontecido? Anrran.

Mas seguindo o "técnico", os cassinos são um grande fator de "divertuosidade". Você provavelmente vai soltar muitos "porras", "infernos", "desgraças" quando perder por pouco ou depois de perder pela décima vez consecutiva e aceitando que a melhor coisa é dar um load.

Perder não é divertido, mas quando você ganha, provavelmente gritará tão alto que sua mãe perguntará se você bateu o pé na quina da cama de novo e terá orgasmos múltiplos. Além do fato que essa droga consegue te prender por horas... maldito vício.

Infelizmente tal diversão é prejudicada também pelos bugs em geral. Não serão poucas as vezes que você terá que voltar um save apenas porque o jogo empacou ou até mesmo simplesmente congelou sem nenhuma razão aparente.

Por isso digo de novo: PORRA, OBSIDIAN!

MEU DEUS, OBSIDIAN!

Replay

Procura pelas escórias de New Vegas? Em Freeside você vai encontrar a maior parte delas.

Acho que não há a maior necessidade de dizer que Fallout New Vegas vale o que custa, não é?

Mesmo sendo apenas single player (igual ao 3), tal jogo lhe proporciona uma vida útil de pelo menos 40 horas para o simples ato de zerar e pelo menos entre 150 e 250 horas para quase que total aproveitamento.

Devido ao esquema agora ser mais baseado em grupos especificos do que karma, sua disponibilidade de missões chega a ser incrível. É IMPOSSÍVEL, perceba que não digo isso com tanta frequência, mas... é IMPOSSÍVEL realizar todas as side quests em menos de 3 zeradas e a razão disso é justamente pela existência de gangues e grupos especificos que são inimigos. Falo mais sobre eles na diversidade.

Isso também influi nos finais que serão diferentes a depender do que você faça no jogo, dando uma vasta gama de endings disponíveis, mais uma boa razão para você zerar muitas e muitas vezes e isso é justamente o princípio do replay.

Como nem tudo se baseia em vantagens, por alguma razão New Vegas é menos "engolível" que o 3. Não sei exatamente a razão disso e nem sei se é algo individual, como eu ter jogado Fallout 3 demais e ter menor perserverança de jogar o New Vegas por uma quantidade grande de tempo, ou até mesmo pura viadagem, mas simplesmente não consigo jogar por muitas horas consecutivas como no seu antecessor.

Essa esperança tá meio que acabada, hein?

Tá, eu fiz muito isso no início do jogo, quando tudo era ainda uma novidade, mas tal empolgação diminuiu com maior velocidade do que deveria ser.

Talvez eu esteja divagando sobre meus problemas de jogar algo por diversas horas consecutivas e isso não tenha absolutamente nenhuma interferência na avaliação, então o que vou dizer é simplesmente:

NEW VEGAS É TÃO INFINITAMENTE ZERÁVEL QUANTO FALLOUT 3!

Fim de papo.

Jogabilidade

Você tem uma arma? POIS EU TENHO UM TACO DE GOLF!

Nesse ponto muitos esperavam algumas mudanças e então?

Obsidian fez merda!

PORRA, OBSIDIAN!

Lá vamos nós de novo...

OK, tudo bem, eles não fizeram merda, mas também pouco fizeram em relação a porcaria já feita pela Bethesda.

Vejam bem: os botões padrão continuam a mesma coisa, o modo de configurá-los também, o jogo ainda não traz grandes características de FPS, forçando você a utilizar o V.A.T.S. mais vezes do que supostamente era necessário e ainda continua meio que impossível acertar um tiro de Missile Launcher.

Só eu tenho problemas pra acertar a porra do míssil? Mas que inferno.

ENFIM (acham que escaparam dele? Mwahahaha), o ponto jogabilidade se parece muito com os gráficos: está tudo praticamente igual. Os mesmos botões de merda de padrão, a mesma impossibilidade de jogar de forma digna em terceira pessoa...

E só eu acho a visão de terceira pessoa apenas um fator de luxo dos Fallouts novos? Do tipo que existe, mas é tão útil quanto o fato de ter aquecedor em um carro na cidade de Salvador?

Mas ok... não serei totalmente rígido... há uma coisa que trouxeram que deixou o jogo mais parecido com um FPS: a mira com zoom (ou seja lá como chamam a mira quando você bota a arma mais perto da cara para acertar um alvo mais facilmente). Tenho que reconhecer que isso me fez mirar com mais frequência e esquecer um pouco o V.A.T.S..

...

AH, WHO CARES? MODO V.A.T.S., ATIVAR! VAMOS MATAR ESSA BARATA GIGANTE NA CAMERA LENTA!

Dificuldade

Eu acho que vi um deathcl... CORRA, BOONE, GOD DAMN IT!

Aí chegamos na primeira parte constituída quase totalmente de VANTAGENS!

Eu comentei no review do FIM DE MUNDO 3 (como diabos não repito a palavra "Fallout" tantas vezes?) que todos os inimigos pareciam ter a inteligência de uma radroach. Simplesmente iam em cima de você, independente do seu armamento e te atacavam como se não houvesse amanhã. Tal problema também valia pros amigos, já que qualquer companheiro seu morria até em uma pequena batalha contra raiders.

O quão dificil é entender que tais armas vão te matar, companheiro? PORRA!

PORRA, COMPANHEIROS!

Todos juntinhos prontos pra receber a porra. Que lindo.
Isso não teve outro significado.


E pra não perder o costume:

PORRA, BETHESDA!

RÁ! Achou mesmo que ia escapar?

Agora a culpa foi de vocês, afinal me referi a um problema de Fallout 3. Acostumem-se com isso.

Porém sejamos felizes! Finalmente deram um jeito nessa zorra! Não que seus inimigos saibam muito de estratégia, mas eles pensarão duas vezes antes de irem em cima como se você fosse a carne de segunda e eles os cachorros. Não se surpreenda se for pego por trás de surpresa (ui) em grupos totalmente desorganizados...

Isso me lembra Wolfenstein 3d.

Há também o fato que eles se esconderão!

SE ESCONDERÃO!

Um "tenho que te matar de qualquer jeito" para "tenho que me esconder, ou ele vai me matar e de nada vai adiantar" comprova que houve uma evolução razoável.

O jogo também resolveu dar uma "boostada" no esquema de companheiros. No 3 eles existiam (e eram burros), mas pareciam mais algo colocado no jogo de última hora e sem muitos testes do que algo que FAZIA PARTE de verdade, no New Vegas a história foi outra. Para deixar isso bem claro, basta lembrar de uma coisa que foi muito anunciada logo nos primeiros trailers e screenshots: o companion wheel.

Que zorra é essa? Já diz o velho ditado: "Uma imagem vale mais do que mil palavras".

Comande seus companheiros com a RODA DA COMPANHIA!
Por que isso traduzido parece tão feio?


Basicamente essa coisa circular serve para você dar ordens básicas ao seu companheiro que impedem que você o perca na primeira emboscada de mendigos portando facas de cozinha. Também define se eles serão agressivos ou cautelosos, que armas usarão, se te seguirão ou não e o mais massa de tudo: eles carregam peso pra você!

Se você jogou o 3 por até mesmo pouco tempo, você provavelmente soltou um sonoro "ufa" quando soube que seus companheiros são ótimos burros de carga! Meu Deus, é muita coisa pra carregar. Veja esse ferro de passar roupas, mais essa panela de pressão, esse copo, essa bateria... como vou levar isso tudo?

Ah, não posso esquecer da muleta e do pacote de cigarros!

Aí está você!

Não há nada melhor que fumar enquanto o mundo está na merda, afinal temos que ficar que nem o mundo: na merda.

Não, eu não gosto de fumantes. Posso até respeitá-los, desde que fumem longe de mim.

Mas saindo da minha vida pessoal que ninguém quer saber e eu conto mesmo assim, os companheiros também contam com uma coisa chamada confiança. Eles vão te ajudar sem pestanejar a todo momento, mas existem side quests que só passam a ficar ativas quando seu companheiro confia mais em você e como fazer isso? Conversando.

Conversar resolve todos os problemas do mundo, palavras do velho. Não que ele cumpra isso sempre, mas... DOESN'T MATTER!

Para os que buscam maior desafio, o New Vegas trouxe uma coisa que vai chamar a atenção logo de cara (até porque aparece logo no inicio do jogo a decisão se você quer ou não jogar nesse modo): o modo Hardcore!

As diferenças desse modo pro modo original é que você sente fome, sede, vontade de dormir, uma dormida não cura ossos quebrados (faz todo o sentido), que só podem ser curados com um item novo chamado Doctor's Bag que é beeeeeeeeem mais raro de encontrar, o que torna o uso de doutores algo perto do útil (ajudando na diversidade), os compannheiros morrem (no modo normal eles apenas desmaiam e levantam magicamente depois que as batalhas cessam) e outras coisitas que tornam o jogo mais dificil.

Até porque jogar no Very Hard só te deixa com rage da vida imensa dos inimigos...

...sim, não acertaram isso. Você ainda vai precisar de uns 10 tiros de pistola pra matar uma radroach...

AHH, UMA RATAZANA GIGANTE! *BANG BANG*

O modo apelativo do 3 de ser perfeito em tudo passou bem longe no seu sucessor. Mesmo com mais perks disponíveis (que serão melhor comentados na parte de diversidade), você precisa de 2 levels up para ter direito a um simples perk. Os pontos de distribuição também ficaram menores e ao invés de ter um personagem especialista em diversas coisas, temos que nos contentar com 4 ou 5 especialidades no máximo com o resto sendo de mediano pra baixo.

No geral a dificuldade teve uma boa evolução e isso deixou o jogo não só mais agradável como mais desafiante e menos apelativo.

Vamos agora pro maior blá blá blá de todo o review.

Diversidade

De que adianta essa resistência se sempre o companheiro levará mais dano do que consegue aguentar?
Não é, VERONICA?

No inicio do texto fiz questão de falar que o jogo conseguiu tornar uma coisa que era meio que deveras impossivel: ser mais diversificado que seu antecessor.

Eu também costumo comentar que ter muitas coisas disponível não torna um game bem diversificado. De nada adianta ter uma vasta gama de itens se nem metade deles serão aproveitáveis e muitos jogos erram em tal sentido.

Mas indo ao ponto que interessa: como ficou isso em Fallout New Vegas?

PONTO para a Obsidian!

...

Relaxem que os "PORRAS" ainda não acabaram.

Hunf.

Um Powder Ganger. Perai, Powder Ganger? E eu achava que o dono dos trocadilhos ridículos era o Alan Wake...

O que foi feito no FNV é digno de palmas. É quase como você pegar uma obra prima extremamente retocada e corrigida e torná-la melhor, muito melhor.

Basicamente é trazido ao player tudo o que o Fallout 3 tinha e mais um pouco. Aliás, mais um pouco não, mais um muito!

Algumas armas foram "limadas" sem a menor piedade, mas no lugar há ótimas substitutas. O mesmo vale para alguns itens em geral. Em número de perks tudo existente no 3 ainda está lá, dos mais estúpidos aos mais úteis e ainda trouxe um perk que conseguiu substituir a fodasticidade do Grim Reaper's Sprint: Jury Rigging.

O que tal perk faz? Simplesmente permite que você conserte coisas tendo apenas coisas similares ao invés de precisar ter o item duplicado no inventário.

Se você já jogou Fallout, provavelmente deve ter falado um "PURRAN" quando soube disso.

Porém o Grim Reaper's Sprint acabou perdendo toda sua magia quando ao invés de restaurar todo o AP após matar um inimigo no V.A.T.S., restaura apenas 20 de AP.

PORRA, OBSIDIAN!

DEIXEM MEU GRIM REAPER'S SPRINT EM PAZ, MALDITOS!

Não disse que tinha mais?

Mas não serei totalmente rígido com a Obsidian. Eles trouxeram uma coisa que eu esperava no Fallout 3 (e até hoje estou esperando) de volta: os Traits.

Para quem não jogou os Fallouts antigos, Traits são nada mais que uma especialidade de perks, porém com desvantagens, algo como: tenha mais agilidade, mas tenha suas partes do corpo quebradas mais facilmente, tenha melhor mira ao matar tudo na loucura, mas perca parte dela quando resolver dar uma de "sniper", atire mais lentamente, mas com maior precisão e por aí vai. Traits são awesome, porque você precisa pensar para pegar os certos e não acabar mais se ferrando do que se ajudando.

Pelo amor de Deus, não peguem o trait que dá maior agilidade, mas que as partes do corpo quebram mais facilmente se pensar em jogar no Hardcore. Eu cometi tal burrice.

De resto há coisas que já foram tocadas no assunto aqui e detalharei agora. Uma delas é o esquema de gangues e grupos diversos.

Explicando de forma básica, o karma perdeu boa parte do seu efeito que trazia no Fallout 3. Você era aceito em certos lugares apenas tendo tal nível de karma e isso pouco acontece no New Vegas. Porém foi feito algo melhor ainda: você pode agradar (ou desagradar) diversos grupos. A mágica disso é que não existe mais algo pregado no 3 como o "bem absoluto" ou "mal absoluto". Todos os grupos tem suas ideologias e tais ideologias podem ser de más, neutras ou boas ações e absolutamente NENHUM deles é feito de apenas um desses tipos de ação.

Foi ensinado na minha matéria de economia (em certos aspectos é bom voltar a estudar) que ideologia nada mais é do que uma forma de pensar de um individuo ou de um grupo de individuos e para alcançar tal ideologia é utilizado até mesmo falsificações ou mentiras, em outras palavras: nada é 100% bom e nada é 100% ruim, vai depender exclusivamente do que deve ser feito para alcançar tal objetivo.

Ideologia Democrata: "Eu não estou batendo nesse cara pobre! Estou batendo na verdade é em algum cara rico em outro lugar!"
Ideologia Republicana: "Eu não estou batendo nesse cara pobre! Eu nunca bati em ninguém! Eu nem sequer tenho um porrete!"
Tira postada sem intenções políticas de minha parte.


Fuu Life também é cultura.

A vantagem disso está no simples fato que em nada na vida real existe o "bem absoluto" nem o "mal absoluto" e quando um game mostra algo que acontece também fora do virtual, você acaba se identificando e se você se identifica, você acaba gostando daquilo.

O esquema de gangues também funciona de forma parecida com a vida real: ao seguir uma ideologia, você vai acabar desagradando outra. Ser amigo da NCR vai te tornar automaticamente inimigo da Caesar's Legion e dos Powder Gangers (perceberam o trocadilho nesse nome?), como a Brotherhood of Steel anda em constante conflito com a NCR, ser amiguinho demais deles também faz você se transformar em uma pessoa desagradável para a BoS. Todos nós seguimos certas ideologias em devidos assuntos e o jogo também lhe coloca "na parede" para você definir quem se adequa melhor ao que você pensa. Ë impossível ser neutro por mais que queira, pois até as missões story related mexem nos brios de tais grupos.

Isso acabou trazendo também novas side quests, pois cada grupo conta com suas missões específicas e por ser impossível ser amiguinho de todos, é também impossível explorar em uma única zerada tudo o que o jogo tem a oferecer. Entendeu porque disse isso mais acima?

O karma continua existindo e valendo. Continua havendo pessoas tão más que o game considera um "favor a humanidade" quando são mandadas diretamente para o inferno, assim como há pessoas boas que ao serem mortas te transformam em um "assassino" e pessoas que na realidade pouco importam e não muda em nada se estão nesse mundo ou além. Também continuam existindo ações boas, neutras e ruins. Não se preocupe que tal diversão ainda existe e você pode definir se vai ser o novo messias, a escória do planeta ou mais um qualquer.

Os 5 irmãos do karma. O do meio se dá bem com todos.

O modo hardcore, explicado acima, serve para desafiar o player e não apenas para irritá-lo. Faz parte da diversidade e de quebra traz um achievement/trophy extra para os jogadores de 360/PS3 que tiverem a paciência e força de vontade de não irem pro menu para desativá-lo nas partes frustrantes do jogo antes de zerá-lo.

O esquema de companhia, abordado também na parte de "dificuldade", deixou o ato de ter um companheiro de frustrante e "mal implantado" para agradável e quase necessário. Tais companheiros também trazem side quests e todas muito envolventes e bem produzidas. As opções do que se pode fazer com eles também são úteis e não estão lá apenas pra "encher linguiça".

Além de construir itens e armas, você também pode agora cozinhar carnes em acampamentos e fazer alimentos diversos misturados que tem um efeito muito mais eficaz do que se fossem utilizados separadamente.

O Speech agora também não será definido apenas por sua lábia. Você pode ganhar discussões se mostrar inteligência, força, habilidades em certos assuntos em geral. Há uma coisa que foi extremamente reclamada pelos old fãs de Fallout: no 3 a liberdade de fala era extremamente baixa em relação ao visto nos seus antecessores. Isso não foi resolvido por completo, mas haverá agora um sentido para investir no Barter além de ganhar simples descontos, por exemplo. Os diálogos meio que "mecânicos" no 3, acabaram ficando até com humor irônico e/ou palhaço no New Vegas.

Há inclusive um ghoul que é possível sacaniar com sua feiura não só uma vez como 3 vezes!

Quando algo me faz rir em jogos e tal coisa não é um bug, merece aplausos.

Agora também contamos com novos tipos de inimigos para terem as bundas chutadas (ou chutarem a sua, a depender de quando apareçam e do que você tenha em mãos em tais momentos), preservando uns do 3 na lógica. Como o nível de radiação é bem inferior a antes, o número de super mutantes é muito menor também, por exemplo.

Também temos os cassinos, já abordados de forma significativa na parte de diversão.

Roleta! ...ah, prefiro 21.

É tanta coisa que dificilmente lembrarei de tudo novo. Desculpe, Fallout 3, mas sua bunda foi completamente amassada e não perdoada pelo New Vegas nesses quesitos. Foi tão massacrada que só consegui fazer piadinhas e sair de termos técnicos após descrever tudo severalmente.

Infelizmente sou obrigado a voltar para o "PORRA Sequence" quando lembro que a diversidade também foi expandida no quesito "bugs".

PORRA, OBSIDIAN!

Bugando, hein? Acha isso bonito?

Um dos maiores problemas do Fallout 3 logo no seu lançamento, foi o número excessivo de bugs de todos os tipos. Existiam até mesmo pelo menos uns 2 bugs que permitiam ter XP infinito e alcançar o level 20 mais fácil do que participar de uma corrida de lesmas e ganhar.

Então o que o New Vegas fez? Trouxe pelo menos mais umas 50 formas de ter XP infinito.

Não sei o que vocês pensam do assunto, mas aprender com os erros significa não cometê-los mais e não aumentá-los, não é isso?

Pois é, falem isso pra Obsidian.

Percebam também que eu toquei de forma bem vaga no assunto de bugs no review do Fallout 3, mesmo tal jogo apresentando um número bem maior que a média. Isso prova que eu reconsidero a maioria deles, pois erros acontecem.

Mas uma coisa é acontecer e outra completamente diferente é FAZER acontecer.

Eu sei que patches existem para isso e que tais erros não perdurarão para sempre (ao menos os mais graves), mas o que custa uns testes simples nisso e naquilo?

Estou tão decepcionado no quão mal testado vocês deixaram o jogo que nem soltarei mais um "PORRA" em luto.

Mas no geral a diversidade não decepciona, muito pelo contrário: anda de mãos dadas com a dificuldade e prova que o que está muito bom pode ser bastante melhorado com um pouco de esforço.

Som

Shwoosh!

Os efeitos sonoros continuam de extrema qualidade, as usual. Você ainda terá medo de ouvir um deathclaw, prazer de ouvir uma explosão semi-atômica (ou seria semi-explosão atômica? Ah, whatever) e dos inimigos que imploram pela sua vida quando vê que seu armamento é mais duradouro que o de Rambo e as dublagens continuam ótimas.

Só em continuar com o "War, war never changes", além de me causar orgasmos, ganhou pontinhos comigo.

Algumas falas irritantemente repetitivas dos companheiros podem causar uma certa chateação, mas nada que tire o brilho do resto que foi feito.

Nas músicas, algumas "chuparam" do seu antecessor, mas há muitas novas que continuam se adequando perfeitamente e são até relativamente mais legais que as do 3.

Apesar de tudo ser excelente, não há nada tão destacável aqui para me fazer divagar mais um pouco.

Podem soltar um "aeeee" ou "ahhh" por isso, a depender da sua reação.

Multiplayer

É de Fallout 1, mas representa bem como está a categoria no New Vegas.

Pode tirar esse sorriso bobo da cara. Mesmo contendo a categoria do multiplayer no review, este continua inexistente.

Obsidian, por favor o que custava trazer um multiplayer para nós mortais? Hein? Hein?

Se o New Vegas trouxesse um multiplayer cooperativo, ficaria sem calças de tantos orgamos múltiplos que teria ao jogar. Além do mais, nós estamos na era do multiplayer (que já dura um bom tempinho por sinal). Jogos single player continuam sendo atraentes, mas se tornam mais atraentes ainda quando são estendidos para o modo never alone.

Não, não me venham com a desculpa que "Ah, mas o mundo é imenso, muitos lugares pra explorar e tal" que Borderlands trouxe não só um cooperativo como um cooperativo split screen DESSE jeito. Não conseguem fazer isso? Nem me venham com a de que "Mas Fallout é um mundo desolador e será bem melhor aproveitado se tudo isto for feito forever alone" pois os companheiros estão lá e podem te acompanhar por qualquer porcaria de lugar no jogo inteiro.

Sei que com o nível extremo de bugs que o jogo trouxe, teríamos um multiplayer com jogadores fazendo eternos malabarismos russos comunistas, mas zorra! Teríamos um multiplayer! Algo mais importa?

Termino meu testamento aqui, meritíssimo.

Fim das partes técnicas

YEEEEEEEEEEEEEEEEEHAAA!

Garanto que isso é um causador de "yeeeey" dos leitores.

Na verdade não preciso por tal coisa em negrito e grande, mas eu gosto. Algum problema com minha coisa em negrito e grande? Ah, bom...

Conclusão

Todos os seus companheiros ficaram bonitinhos e Veronica parece mais inútil ainda.

Apesar de tudo reclamado (e até do idolatrado) no giga-mega-hiper-igor-giga-intenso-imenso texto acima, Fallout New Vegas traz uma coisa que por si só faz ele valer a pena de ser jogado: é um verdadeiro Fallout e não só isso como relembra em várias coisas os melhores Fallouts de todos os tempos: o 1 e o 2.

A Main quest pode até não estar tão interessante como de costume, mas tudo isso foi depositado com esperança e fé nas side quests, invertendo o problema visto no Fallout 3. Ainda está prazeiroso explorar o mundo pós-apocalíptico e magnífico de Fallout, as Vaults estão tanto ou até mais interessantes do que nos jogos anteriores e boa parte das vantagens permaneceram ou até mesmo foram ampliadas em relação ao seu antecessor. Tudo isto fruto de colaboradores que participaram na produção dos games antigos.

Felizmente já houve uma boa carga de patches e os bugs começaram a ser finalmente ignoráveis, tornando o jogo ainda melhor do que ele é e perto do que deveria ser.

New Vegas não só vale a pena de ser jogado como DEVE ser jogado. Não me venham com desculpas esfarrapadas para fazer o contrário ou mandarei meu Dragonite lvl 80 usar Hyper Beam em vocês.

...

EU AINDA JOGO POKEMON SIM! ALGUM PROBLEMA?

AH BOM!

Ideias para um futuro especial Pokemon, hum... quem sabe.

Vídeos

Debut Trailer:


Intro:


Gameplay 1:


Gameplay 2:


Não joguei a versão PC e PS3 como de costume, mas posso dizer que a do PC ainda apresenta vantagens como console e mira melhor e parece que finalmente reconheceram que os donos de PS3 merecem respeito: o jogo está muito parecido com a versão do "concorrente" até mesmo em datas de lançamento de DLCs e patches.

Características positivas:
-Ainda é Fallout.
-A participação de produtores dos antigos fallouts dá uma grande sensação nostálgica.
-O mundo continua graaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaande e há muito a ser explorado.
-Vida útil excepcional. Vale cada centavo gasto.
-Mira "zoom" ajuda no quesito "FPS" e evita o uso excessivo do V.A.T.S..
-Side quests BEM melhoradas e não trazem mais aquela impressão de "eu tenho mesmo que fazer isso?".
-Enredo que envolve grupos e companheiros envolvente.
-Excelente melhora no quesito da Inteligência Artificial, seja de inimigos ou aliados.
-Diversidade quase atinge a perfeição, provando que tudo o visto no Fallout 3 foi apenas um mero aperitivo.
-Os sons na boa parte são outros, mas continuam outstanding.

Características negativas:
-Nível EXTREMO de bugs, de bestas a insuportáveis e inaceitáveis.
-Enredo da main quest bastante simples e pouco diferenciado.
-A jogabilidade mesmo sendo boa ainda demora pra causar agrados.
-Multiplayer inexistente.
-Por ser "mais do mesmo", a tendência é que New Vegas prenda por menos horas consecutivas que seu antecessor.




O companheiro mais útil de todos merece a última imagem!

_____________________________________________________________________________

Meses se passaram, mais uma vez falhei nas atualizações regulares, mas cumpri minha promessa e terminei esse review que conta com quase 45 mil caracteres!

Sobre as atualizações, postarei em breve um "esquema de força de vontade" como um post separado, narrando o que eu pretendo fazer para manter a frota de posts regulares.

Ora bolas, quando esse blog começou eu tinha atualizações quase que diárias, então porque não posso manter updates pelo menos semanais?

Eu também tenho um receio de postar análise de filmes... sei lá, elas não parecem ser tão bem recebidas por aqui, mas perderei esse medo e começarei a narrar tudo que eu vejo, pois sou um cinéfilo de carteirinha.

Mas os detalhes ficam para tal post que estará aqui em breve.

Espero que tenha gostado do que foi falado até aqui e lembrem-se que só saberei disso com seu comentário. Don't be shy, dude! Inclusive agora tirarei a moderação dos comentários e deletarei apenas os de spam. Admito que já deletei comentários que apresentavam críticas totalmente destrutivas por achar que estes são inúteis e não farei mais isso, afinal isto é uma forma de censura e se há uma coisa que não gosto é de censuras.

Gostaria de agradecer a Leronir, Eduardo, Vinicius, nevabowdown, Prosinecki e todos os outros que me cobram esse review até hoje. Admito que minha vida não é tão busy assim e posso muito bem aumentar a regularidade de textos postados aqui.

Adios amigo e veremos se 2011 será mesmo um ano de mudanças ou igual a todos os outros.

o/

10 comentários:

Anônimo disse...

Quando vc vai lancar a versao impressa desse livreview? XD
Ficou massa!! Valeu a espera!!
Concordo com tudo que vc disse ai, agora acho que pra analisar esse jogo eh muito relativo por ele ser um classico. O Fallout 3 na minha opiniao foi melhor que esse pelo impacto que teve ao ponto de mudar minha visao com relacao aos jogos rpg. Agora, jogos rpg na minha opiniao sao os mais interessantes. (Mas warcraft, to fora!Nao quero arriscar me viciar) Esse tb eh muito bom, agora o 3 foi o inicio de um novo estilo de jogo da serie.(Nao joguei o 1 nem o 2) Talvez se o New Vegas fosse lancado antes, eu provavelmente o consideraria superior pelo impacto que causaria.
Seu proximo review provavelmente sera pokemon. Apesar que nunca considerei jogar nenhum deles e nem acompanhar a serie por parecer muito infantil, quem eu nao mude de ideia depois de ler seu review! Eh possivel que sera mais longo que esse?(la ele)
Estamos a espera!!!

FFFUUUUUuuuuuiiiii!

Vinicius disse...

C@R%LHO!! Por um momento achei que o seu Xisboca tivesse falecido (3rl) O_o.

Bem-vindo de volta, Igor, ótimo review! ;-)

Jake the hedgehog (antes Vinicius) disse...

Ae! Se lembra quando vc disse lá no post de jogos q merecem um remake que esperaria por um remake do Revolt?:

"Que algum ser angelical compre os direitos de RV e lance o remake.

Esperarei sentado :/"

Então...:

http://www.giantbomb.com/re-volt/61-5037/

clicando no link acima, leia no finalzinho da página, no Heritage:

"Heritage

The license and publishing rights to Re-Volt were bought in 2006 by the Canadian game publisher Throwback Entertainment. The publisher also confirmed that a next-generation version of the game is to be expected."

e também na Wikipédia:

http://en.wikipedia.org/wiki/Throwback_Entertainment

O único problema é que isso aconteceu lá em 2006 e nada do remake sair :(

Pelo menos compraram os direitos, já é um progresso...

Mas o site da Throwback ainda tá no ar, se quiser ver.

Prosinecki disse...

Se tivesse dominó nos cassinos eu me lamentaria ainda mais por não jogar essa porra =[

O que eu mais adoro nessa porra de maldito de jogo é que você pode explorar absolutamente todo fuckin lugar e fazer qualquer fuckin coisa, PORRA, é massa

"Ideias para um futuro especial Pokemon, hum... quem sabe." Esperança *.*

"Artístico: Para que serve essa categoria mesmo?" Para que serve essa porra mesmo?

Lucs disse...

Especial pokémon me soou bem hein :)
Podia mostrar como há diferenças SIM de um para outro (Celular ou VS. Seeker?)

Uma trilogia que eu recomendaria para ser jogada (e comentada) seria Mass Effect...
o último ainda não saiu mas há grandes expectativas de continuar a historia e as escolhas como deveria.

E eu nunca joguei fallout 3,algum problema em jogar New Vegas sem ele?

Igor PhOeNiX_H disse...

Vinicius, ainda não faleceu não, aehuaeuhae. Falando nisso fez 2 anos de vida no dia 15 de fevereiro desse ano. Tá ficando vein já.

Vinicius também (ou Jake the Hedgehog, vai saber), eu tinha um leve conhecimento desses direitos comprados logo quando deu a notícia, mas acabou caindo no esquecimento de minha parte justamente porque nada saiu. Bom saber que a empresa ainda está lá e que há chances do jogo sair. Espero sentado, mas se sair mesmo, gozarei litros.

Lucs, realmente há diferenças entre cada um sim. O enredo permanece do mesmo jeito e há mudanças pouco significativas em outros aspectos, mas existe. Pokemon Black/White que eu me surpreendi: houve uma evolução de verdade em muita coisa (exceto o enredo que continua "bobinho" e parecido com o resto), pretendo falar justamente sobre ele amanhã, vamos ver se o tempo vai me permitir. Sobre o Fallout, é como eu disse no review: o New Vegas é uma história diferente do 3 e tem certas conexões com o 1 e o 2. O ideal seria jogar o FNV depois do 1 e do 2 pra ser mais exato e o 3 pode ser jogado sem problema nenhum stand alone, por mais ilógico que isso possa parecer. O Mass Effect é um dos meus jogos prediletos da vida, o 1 inclusive foi mais marcante que o Fallout 3 pra mim, pra você ter uma ideia. Pretendo falar dele também sim em algum dia em especial.

E a todos: obrigado pelos elogios. Caprichei o quanto pude nesse review. Bom saber que gostaram :D. E também bom saber que a ideia do "especial Pokemon" foi bem recebida, mas ainda preciso jogar os do GBA. Feito isso eu começo o especial.

Matheus disse...

Bah cara
Ótimo review, li do iício ao fim sem me cansar, como leitor iniciante do Fuu - Life, devo dizer, você tem um ótimo senso de humor, e os jogos que você escolhe para escrever sobre são sublimes.

Eduardo disse...

Wow!! Parece que a espera valeu a pena, analise fera pra caramba, a do cisne negro e do pokemon ficaram fodas também, to falando aqui porque to com preguiça de comentar todos os posts, mas voce captou mesmo o espirito fallout e despejou tudo nesse review. Bom trabalho velho, não pare de postar e valeu aí pelo agradecimento, o que seria de voce sem nós leitores não é mesmo?(hehe)

Samuel Santos disse...

Caraa encotrei seu blog eqee arei a analises gigantescas como essa de Fallout New vegas que fez relação a sua analise que é gigantes mas é bem legal.

Theilor disse...

Cara, muito boa tua análise.
Acabei caindo aqui por acidente quando procurando algo do jogo, mas li a análise inteira. As partes engraçadas são o que fazem o texto ficar bom.
Parabéns.

PORRA, OBSIDIAN!