quarta-feira, 18 de março de 2009

Análise Jogos: Patapon 2 (2008)


Não é necessário ser um leitor assíduo do blog pra saber que já falei de Patapon em outra ocasião.

Esse review ia ficar para maio, mas para a minha surpresa o jogo saiu na europa em março. Eu já tinha jogado a versão em japonês, então passei a ter a oportunidade de jogar em inglês.

E quanto ao que eu acho de Patapon 2?

Bem...

A Sony não esperava que tivesse um sucesso tão grande em Patapon 1. Provavelmente o jogo foi lançado apenas para criar uma versão alternativa de "LocoRoco" ou algo parecido.

Mas o jogo vendeu bastante e como eles queriam mais dinheiro lançaram Patapon 2.

Provavelmente no medo de perder fãs (ou que pra eles significa: CLIENTES), a Sony fez o Patapon 2 quase como uma expansão do 1.

Hoje é festa! Fênix pro jantar!

Como assim? Deixe-me exemplificar:

Doom, lançado em 1993 pela iD Software fez um puta sucesso. Um sucesso extraordinário mesmo. O jogo vendia mais do que big big quando era 5 centavos.

Passado um ano, Doom ainda vendia bastante, mas não o suficiente para os mercenários da iD. Então o que a desenvolvedora fez?

Lançou Doom 2, claro!

Eu costumo dizer que se a iD continuasse lançando Dooms com o nível de novidade que tinha entre o Doom 1 e o 2, chegaria a 1996 com mais ou menos umas 7 versões de Doom tranquilamente.

Graças a Deus eles foram inteligentes e sabiam que a série ia ser desgastada se lançassem vários Dooms diretamente.

Como eles sabiam? Commander Keen teve 7 jogos em 2 anos. Acho que é mais do que o suficiente. Foram tantos jogos que Commander Keen só foi aparecer para o Nintendo 64 anos depois e depois sumiu totalmente.

O caso é que Doom 2 tinha exatamente as mesmas coisas do Doom 1. Adicione um chefão a mais, uma arma a mais (Super Shotgun) e uns 4-5 monstros a mais.

Além das 30 fases novas, mas que de "novas" mesmo não tinham muita coisa. Os objetivos eram os mesmos e você se sentia jogando não um Doom 2, mas um "fim de história" do Doom 1.

Super shotgun owna!

E por que eu comentei isso? Patapon 2 segue as mesmas coisas.

A história continua, sim, claro. Eles construíram um barco, foram pro mar e foram atacados por uma lula gigante. Se fuderam e acabaram virando náufragos em uma ilha doida lá.

Se você jogou a versão européia do Patapon 1 (o que foi meu caso), você tem o direito de importar os itens conquistados no 1, independente se você zerou ou não. Se você jogou o Patapon 1 EUR, não deixe de importar tais itens. Serão BEM úteis ao continuar o jogo.

Pássaro gordo estúpido.

A coisa que eu fiquei puto da vida mesmo foi logo no início.

Lembra no Patapon 1 que você tinha que acordar o Patapon da música (esqueci o nome dele, sorry) com Pon Pon Pon Pon, logo depois aprender o Pata Pata Pata Pon e levar eles até o fim escapando de um dragão?

Substitua o dragão por uns guerreiros com máscaras que cercaram Meden (princesa estúpida!!) e that's it.

O resto é ABSOLUTAMENTE A MESMA COISA!

Se você não jogou Patapon 1, nem jogue. Você irá se sentir um total estúpido quando perceber que enquanto o jogo passa, você enfrenta exatamente QUASE TUDO do Patapon 1.

Claro, trouxe várias novidades, mas tudo já existente no Patapon 1 já estava aí.

Das novidades contamos com:

-Escolher entre speaker e headset mode. Cada um para uma ocasião.
-3 níveis de dificuldade a escolha. O Easy é muito fácil de início, mas depois se torna um grande problema. Jogando Patapon 1 ou não, recomendo que comece nessa dificuldade caso não queria passar mais horas em Patapon que em Monster Hunter.
-Novos tipos de guerreiros a escolher. Na verdade MUITOS tipos mesmo:
-E como visto acima, uma tela de evolução. Isso facilitou bastante você criar Patapons novos e provavelmente muitos acabaram conhecendo tipos de Patapons que não conseguiram no 1.
-Novos itens, armas, milagres e mini-games.
-Novos climas de fases. Agora além de sol, chuva, sol torrante e tempestade, contamos com neve, nevoeiro e ensolarado frio (neve na terra, mas não está nevando).
-Patapon herói.
-Novas músicas. Algumas bem legais por sinal.

As novidades provavelmente ajudaram a Patapon 2 não ser uma sequência fracassada.

No Speaker mode, os sons são mais altos, mas com qualidade menor. No Headset mode, os sons são mais baixos, mas com qualidade bem superior. É nítido a diferença até.

Isso faz falta no Patapon 1. Ou você jogava com headphone, ou tinha que jogar em algum lugar totalmente silencioso para poder ouvir perfeitamente.

Quanto aos níveis de dificuldade, o jogo explica o porquê. No Easy você vai achar o jogo mais fácil que roubar pirulito de criança no início. Você faz fever com combo x3 (o que no Patapon 1 só acontecia caso você fosse um total viciado sem vida real) e é MUITO difícil de perder o Fever. Por 2 motivos:

-Quando você acerta o ritmo, o último som toca mais forte para identificar que você acertou por completo.
-Quando você erra o ritmo por quase muito, uma caveirinha aparece ao lado do fever para avisar que se você não fizer um ritmo razoável depois, você perde seu fever.

Você falhou no ritmo. Please die

No entanto, enquanto o jogo vai avançando, ficar no fever se torna de algo muito bom a algo indispensável. Até mesmo para fazer os milagres você fica receoso, porque só no tempo que você vai precisar recuperar o fever, você pode perder 1 ou 2 guerreiros.

A tela de evolução também é algo meio exagerado.

São muitas opções para escolher e umas requerem mais recursos que outras mais avançadas. Você cria tal Patapon e ele se torna inútil depois, mesmo em níveis maiores, porque os recursos que ele pede são muito mais difícieis de conquistar do que em Patapons mais fortes.

Ou seja: conta com uma boa diversidade, mas boa parte dela completamente sem sentido de existência.

Os mini-games que contaram com uma EXCELENTE evolução. Agora não é apenas aleatório e você ganha muito mais itens do que no Patapon 1. Todos eles contam com 3 niveis e a única coisa que você precisa para jogar tais níveis é ter ka-ching disponível (tirando o ferreiro e o Shuraba Yapon, que exigem ka-ching e um iron ou apenas itens respectivamente).

Tsun Tunpon e Tsuku Tsukupon. Rockeiros do Patapon :D

No Patapon 1, caçar era chatíssimo, mas necessário. Se você não caçasse, você não teria ka-ching e nem alguns itens comuns para criar patapons.

Em Patapon 2, além de ter os 3 níveis em cada mini-game, o que permite que você tenha quase todos os itens de todos os tipos (tirando os seeds, coisa nova no Patapon 2 por sinal que você precisa caçar para conseguir), você ainda conta com um mini-game que te dá ka-ching. Quando você conquista esse mini-game, que ainda é no início, você praticamente anula a necessidade de caçar.

Os novos climas deixaram Patapon mais bonito visualmente. Jogar na neve é bem legal e no nevoeiro realmente você sente uma solidão, assim como em um nevoeiro comum. A visão é prejudicada e tal.

Já sobre os milagres, os novos não são tão úteis. Já zerei o jogo 2 vezes (uma na versão JAP e outra na versão EUR) e não vi nenhuma utilidade sequer para o milagre da neve. Só faz congelar meus Patapons e não resolve muito com o inimigo. Existe um milagre para deixar os patapons mais fortes, mas dura apenas 40 segundos e até você entrar no fever novamente (o que aproveitaria tal potência), você não ataca sequer 2 vezes até que o milagre termine.

Holy crap! 1152 de Ka-ching!

O Patapon Herói é uma mão na roda. Sem ele o jogo fica praticamente imbatível. Há fases inclusive que sem ele você não passaria da metade.

Ele inclusive pode se tornar qualquer tipo de Patapon, desde que você já tenha criado.

Cada tipo de patapon que você escolha pro seu herói conta com o seu ataque especial.

Morra, inseto!

Mas saindo das novidades e partindo para as mudanças.

A pergunta que muitos que jogaram Patapon 1 e não jogaram o 2 fazem é: o que mudou?

A história tem praticamente a mesma temática. Substitua os zigotons por esses mascarados. Do resto, tornaram apenas mais cômica.

O Patapon herói mesmo é quase um anti-herói. É forte e tudo mais, mas é como se não estivesse nem aí para o salvamento dos Patapons e só luta com você apenas porque você é o deus dele.

Pobre dragão.

Várias fases que você joga dá pra notar uma grande semelhança com fases parecidas em Patapon 1.

Começando da primeira fase, fase de caça onde aprende a atacar, o dragão azul, aprendizado de novos ritmos, onde os arqueiros e os guerreiros aparecem, atravessar o deserto, resgatar Meden e por aí vai.

Para mim o jogo era apenas uma expansão qualquer do 1 do início. Mais pra frente a coisa vai mudando, mas a cada fase que passa você sente mais raiva por ter perdido tempo com Patapon 1.

O motivo disso é que tudo, eu disse TUDO que você viu em Patapon 1, você verá no 2 ou verá algo parecido.

Os gráficos estão iguais. Só dá para perceber de qual Patapon estamos falando quando você vê novidades nas screenshots.

Tá nevando! Que mágico!

A jogabilidade está a MESMA coisa. O esquema de ritmo igual e você conta com 2 ritmos novos, mas que você só vai conquistar lá da metade pro fim do jogo.

Aí vem uma segunda pergunta: preciso jogar o Patapon 1 para jogar o 2?

E eu digo: não.

Se você jogou Patapon 1 ou não, não fará a mínima diferença no final das contas. A história que você tem que saber está praticamente resumida logo no início do 2.

Se você jogou, ótimo. Não vai sentir menor dificuldade logo de início, vai saber os ritmos e só começará a ter problemas lá para o meio do jogo, quando é praticamente obrigatório ter patapons em níveis altos para continuar.

Odeio minhocas

Isso significa que já está muito tarde para abandonar. Eu pelo menos não consigo abandonar um jogo em que eu já esteja na sua metade.

Mas o jogo é auto explicativo. Se o 1 era pra um "público limitado", o 2 é para todos.

Uma coisa que o Patapon 2 trouxe realmente de legal foi um multiplayer.

Isso era cobrado por muitos no 1. Diziam que Patapon era um ótimo jogo, mas faltava um multiplayer. Tenho de concordar com isso.

No 2 esse multiplayer está aí e tem 3 modos de jogo. Não joguei nenhum dos 3, mas sei que existem modos cooperativo e competitivo.

Multiplayer!

O cooperativo se baseia por carregar um ovo, destruir um chefão (ou uma fase carregada de mascarados) e conseguir algum item útil nesse ovo.

O competitivo é mais briga de ritmos. Quem acertar mais ganha.

Não é grande coisa. Eu esperava um cooperativo em que um jogador fosse jogando alguma fase enquanto eu já estava jogando outra com outro exército. Exemplo: um cara vai caçar enquanto o outro tá lá destruindo o dragão azul. Assim ganha ka-ching e ao mesmo tempo vai evoluindo o jogo.

Tornaria o jogo mais rápido e mais legal até, convenhamos.

Infelizmente, como não joguei, não posso falar mais do que minha opinião para um bom multiplayer.

Let's go!

Mas concluindo:

É claro que a série Patapon se tornou um grande "blockbuster". Fez sucesso e isso foi o suficiente para que a Sony fizesse um jogo para "todos".

Nada contra isso, mas eu esperava grandes evoluções no Patapon 2.

O jogo vai lhe fazer passar menos raiva que no Patapon 1, mas você se pergunta se passar por tudo parecido (ou até mesmo igual) ao que passou em Patapon 1 é realmente necessário.

Então minha opinião para Patapon 2 é:

Já jogou Patapon 1 e quer jogar o 2? Jogue se for um fã. Se achou Patapon 1 um jogo qualquer que jogou por 1 hora e tudo mais, nem chegue perto do 2.

Nunca jogou Patapon 1 e quer jogar o 2? Vai fundo. Patapon 2 torna-se um grande jogo quando você nunca jogou a série. Divertido, inovador e diferente.


Dúvida sobre as pontuações e a nota final? Veja o post de explicação das pontuações.

O fim de Patapon 2 já deu idéia que haverá um 3.

Que a Sony não cometa o mesmo que cometeu em Patapon 2, senão a série começará a ficar desgastada.

Morra, seu... seja lá o que seja isso!

--------------------------------------------------------------------------

Mais um review concluído.

O próximo jogo que falarei é um do Wii, o Boom Blox.

Parece infantil. E é?

O jogo se tornou famoso por começar a idéia de "realidade virtual" pro Wii, apesar de que não dá pra ver grandes coisas no jogo em si.

Se é bom saiba no próximo capítulo.

Até breve!

o/

8 comentários:

Prosinecki disse...

Não consigo jogar um 2 de um jogo sem antes jogar o 1, acho que isso acontece com muitas pessoas, felicidade para a sony

Jonas Stelzer disse...

Concordo com o cara acima, vou recomeçar a jogar o 1, que ainda não fechei.
Mas mesmo assim, vou dar uma olhadinha no 2, só de leve ^^
abraços

Anonymous disse...

Adorei sua analise... Muito legal mesmo... Joguei o 1 e estou jogando o dois agora, porem ainda em japones, como estava tao fanatica com patapon 1 quis jogar logo o 2 mesmo q em japones, mas poucos dias depois chegou a versao europeia mas dai eu ja estava com um jogo legal no japones e nao quis abandonar...
Gosto muito do jogo

Parabens pelo blog...;)

[Leticia]

Patrick Fernandes disse...

Blog MUITO bom cara xD

Adorei os comentários sobre o jogo,to começando ele agora,me sentia na obrigação de começar pelo 1 sabe xD

Mas realment,muito bom as Reviews \o

Calleb disse...

É, Patapon não veio com muitas novidades, mas é um jogo extremamente divertido de se jogar. Tirou algumas coisas chatas do 1, e adicionou poucas coisas. O que deixou mais divertido. E ainda não terminei de zerar, acho que estou com medo de terminar de jogar.. euaheuahuehe. Mas, QUE VENHA PATAPON 3! xD

Ótimo review, Fênix!

Anonymous disse...

Review nota ten!!! Nao joguei patapon(comecei mas parei) vou jogar assim que possivel! Gostei do Multiplayer la, dois caras fuu!!!hauahua

FFUUUUUUiiiiii!!!!

Anônimo disse...

patapon 2 é muito loucooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

eu anda não liberei todos os movimentos só sei o pata pata pata pon,pon pon pata pon,thaka thaka pata pon,don don don don don e pon pata pon pata

eu não sabia que o heroi podia evolui e eu vi as imagens e percebi como fazer isso

valeu cara!

Daniel disse...

Gostei muito do patapon 2, mais eu realmente esperava mais. Que jogou e zerou o patapon 1 verá que tem partes da trama que são pura repetição, mudando apenas os nomes dos personagens (como o portão Bababan e o chefe Garuru). Realmente é mais divertido que o um e tudo mais, mas o sistema do heroi acabou com grande parte da estratégia do game, já que ele sozinho é mais forte do que o exército inteiro.